Exposição ‘Lisboa, refúgio de polinizadores’ abriu ao público na Estufa Fria no Dia Mundial do Ambiente

Exposição ‘Lisboa, refúgio de polinizadores’ abriu ao público na Estufa Fria no Dia Mundial do Ambiente

A Syngenta e a Câmara Municipal de Lisboa inauguraram a exposição de fotografia ‘Lisboa, refúgio de polinizadores’, na Estufa Fria de Lisboa, a 5 de junho, Dia Mundial do Ambiente, dando a conhecer o papel vital dos insetos polinizadores e auxiliares na alimentação e na biodiversidade do Planeta.  

A exposição, que está patente ao público até 5 de julho, apresenta 30 espécies de insetos benéficos encontradas em campos agrícolas de Portugal e Espanha onde foram instaladas margens multifuncionais Operation Pollinator. Algumas das espécies retratadas, como a vespa Stylbum cf. calens ou a borboleta Parnassius apollo, são raras ou estão em risco de extinção.

“O tempo está a correr e para muitas destas espécies implica que se não fizermos nada por elas, serão extintas”, alerta Mario Boieiro, entomólogo do Centro de Ecologia, Evolução e Alterações Ambientais da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa. Na opinião deste especialista que colabora na validação científica do programa Operation Pollinator, “é fundamental educar a população, dar-lhe a conhecer a biodiversidade que ocorre no espaço urbano e nas zonas envolventes, tornando os cidadãos cada vez mais conscientes do seu importante papel no futuro do Planeta”.

Operation Pollinator é um programa internacional para estímulo da biodiversidade na agricultura e já beneficiou mais 8,2 milhões de hectares em todo o mundo. Várias cidades europeias amigas dos polinizadores também aderiram a esta iniciativa, incluindo Lisboa em 2020, com um projeto-piloto na Rotunda dos Olivais. Outros espaços verdes da cidade estão a ser preparados para albergar futuramente estes “oásis” para polinizadores.

“Estou muito orgulhoso por termos concretizado este projeto com a Syngenta. São já dois anos de trabalho em parceria que agora partilhamos neste lugar maravilho que é a Estufa Fria de Lisboa. Todos nós devemos dar o nosso contributo para um futuro sustentável e esta exposição é fundamental para a consciencialização da população”, afirma Rui Simão, chefe da Divisão de Manutenção e Requalificação de Estruturas Verdes da Câmara Municipal de Lisboa.

As margens funcionais Operation Pollinator são corredores verdes semeados com uma mistura de espécies de plantas que se mantêm floridas grande parte do ano, servindo de alimento e refúgio para os polinizadores e outros insetos benéficos. As sementes usadas nestes corredores verdes são produzidas em Portugal pela empresa Fertiprado. Os agricultores reservam uma pequena área – 3% a 5% – das suas quintas para estes locais de refúgio de polinizadores, beneficiando do serviço de polinização das culturas e da valorização do equilíbrio do ecossistema. É uma forma simples de iniciar os agricultores nas questões da sustentabilidade”, explica António Saraiva, Responsável de Sustentabilidade para África, Médio Oriente e Turquia da Syngenta.

Várias empresas agrícolas portuguesas aderiram ao Operation Pollinator, entre as quais a Vitacress, a Herdade do Pinheiro, a Sogrape, a Bacalhoa Vinhos, a Sogepoc, a Nutrifarms e a Veracruz.

Até 2025, a Syngenta espera beneficiar 15 milhões de hectares de terras agrícolas em todo o mundo através do Operation Pollinator e outros programas de apoio à biodiversidade.

Vídeo Resumo

Mais informações sobre o programa Operation Pollinator estão disponíveis em:  https://www.syngenta.pt/compromisso-com-biodiversidade